Resenha:Ponto Cego -Anne Holt Muller

Sinopse:Após ter as memórias apagadas pelos velhos inimigos do seu pai, um assassino, e vingar a morte dele, Kathleen tomou a decisão de permanecer ao lado do ex-agente duplo e agora Governador e de viver uma vida normal, longe de armas e assassinatos.
Um ano depois, ela está a um passo de começar sua vida como sempre quis, mas quando atentam contra sua vida, ela precisa seguir Faust em uma investigação em torno do mundo em busca de um grupo de terroristas que planejam a destruição do governo atual.
Mas o que ela encontra no meio do caminho é um jogo conspiratório no qual ela se vê perdida, com traidores em todos os lados, assassinato, guerra, sangue e traição. E ao conseguir suas memórias de volta e se dar conta da verdade diante de si, Kathleen acaba em um jogo de gato e rato; uma trama para tirar o Governador do poder e assassiná-lo.
Ninguém é o que parece ser e todos são traidores.

  • Eu não sei nem o que falar desse livro, que me deixou sem fôlego, e entrou para a lista das melhores leituras de 2018.

    Acabamos por ver duas partes de Kathleen: ela sem memórias, e depois de ela recuperar as memórias, que é quando a revolta surge, e é também quando, na minha opinião, ela começa a fazer coisas burras.

    Há personagens que tem mais visibilidade nesse segundo livro, como por exemplo, Thomas, o que eu não gostei, já que tenho um grande ranço dele, e esse também se envolve amorosamente com Kathleen, depois de muito o querer mas não ser correspondido.

    Mas ao mesmo tempo, há um envolvimento maior de Kathleen e Faust, o que eu adoro, já que é meu shipp supremo, vemos algo forte que os liga, mas infelizmente, eu me enganei bastante com isso e só percebi quando cheguei ao final.

    Kathleen tem uma importante decisão a tomar, que encadeia toda a história, de um lado, tem pessoas querendo a fazer acreditar em algo, para assim, lutar, e de outro, ela com as memórias recuperadas, um pouco desnorteada.

    Houve uma cena épica em "Ponto Cego" (momento spoiler 😂) que é quando Faust mata um homem com um cadarço. Sim, com um cadarço, sem dúvida nenhumas, foi a melhor cena do livro hahahahah.

    Nesse livro é ainda mais perceptível o quão manipulador cada um deles pode ser, ou quantas vezes alguém pode ser traído, lealdade é algo quase inexistente ali, um apunhalando o outro pelas costas e assim se segue. E eu não posso deixar de falar sobre "aqueles" que ressurgiram das sombras, me deixando sem fôlego. Como assim galeris? Como assim esse trem está vivo? Minha reação foi algo tipo assim.

    Areia Movediça foi um livro maravilhoso, mas após ler os três, eu conclui que Ponto Cego foi o ápice de tudo, em que Anne mostrou o porque veio ao mundo (para fazer leitores e personagens sofrerem), sem dúvidas, o melhor livro da trilogia e um dos melhores da vida.
    É algo que te prende do início ao fim, e no meu caso, me fez ler em um só dia, em algumas horas, a escrita de prende, e os fatos também, você quer cada vez mais saber o que vai acontecer, sem dúvidas nenhuma, nesse livro não falta nada, só o fôlego do leitor mesmo depois de diversas revelações.

  • É uma mistura dos mais intensos sentimentos e das coisas que os leitores mais gostam nos livros, com um desfecho impressionante e que nos deixa com a cara no chão, ansiosos pelo próximo.

    Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟 (5/5)



Nenhum comentário:

Postar um comentário