Resenha:O nome do vento –Patrick Rothfuss

Sinospe:Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinante universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se concentram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso. Da infância numa trupe de artistas itinerantes, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia, O nome do vento acompanha a trajetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano - os lendários demônios que assassinaram sua família no passado. Quando esses seres do mal reaparecem na cidade, um cronista suspeita de que o misterioso Kote seja o personagem principal de diversas histórias que rondam a região e decide aproximar-se dele para descobrir a verdade. Pouco a pouco, a história de Kote vai sendo revelada, assim como sua multifacetada personalidade - notório mago, esmerado ladrão, amante viril, herói salvador, músico magistral, assassino infame. Nesta provocante narrativa, o leitor é transportado para um mundo fantástico, repleto de mitos e seres fabulosos, heróis e vilões, ladrões e trovadores, amor e ódio, paixão e vingança. Mais do que a trama bem construída e os personagens cativantes, o que torna O nome do vento uma obra tão especial - que levou Patrick Rothfuss ao topo da lista de mais vendidos do The New York Times - é sua capacidade de encantar leitores de todas as idades.

O livro de início de passa na Pousada do Marco do percurso, uma pousada pouco movimentada, por sinal.

Carter chega acabado na pousada, um pouco machucado, com sua égua morta, e conta o que aconteceu, ninguém além do hospedeiro sabe o que é.

Logo mais aparece o cronista, que é assaltado na estrada, mas com algumas moedas que consegue esconder, vai para a pousada, e acaba reconhecendo o hospedeiro, se interessando por escrever sua história.


E então a ação começa. Kvothe era da trupe, junto a sua família, e esses viajavam por lugares fazendo seus trabalhos, em uma dessas viagens, de junta Abenthi, que além de ensinar mais coisas a Kvothe, reconhece sua incrível inteligência e seus dons, e incentiva o garoto a um dia tentar ir para a universidade.

Mas acontece o inesperado. Kvothe, em um dos lugares aonde eles estão temporariamente para se apresentarem, saí para dar uma volta, e procurar algumas coisas, sozinho, e quando volta, encontra sua família e o resto da trupe morta. O choque é imenso.

A partir daí o garoto passa por diversas coisas horríveis, que muitos não aguentariamos, desenvolve habilidades para poder sobreviver, e vai conquistando coisas com o passar do tempo, que de certa forma auxiliam em sua sobrevivência.

Com muita luta, Kvothe consegue ir até a universidade, mas mesmo assim, as dificuldades não param, e o protagonista se envolve em diversas confusões, digamos que ele é o tipo que pessoa que sempre está em uma.

Patrick quebra nossos corações diversas vezes, com algumas cenas fortes demais para os sensíveis e também crueldades. Além de deixar vários fãs de "A crônica do matador do rei" pela demora para o lançamento do terceiro volume.

A maestria que o escritor conduz a trama de alta fantasia é incrível, nos levando a um mundo novo e único, aonde somos apresentados a personagens complexos e incríveis, até os secundários. Os meus favoritos são Bast, Simmon e Auri, que são ícones.

Ansiosa para ler o segundo, embora não queira ter que esperar pelo terceiro. E ansiosa também para Kvothe aprender a se proteger melhor.

Tiveram algumas cenas repetitivas e cansativas de se ler, tirando isso, foi uma leitura ótima, com um mundo maravilhoso e exclusivo, como um presente de Patrick Rothfuss para nós leitores <3


Avaliação: 📕📕📕📕📕 (5/5)

Nenhum comentário:

Postar um comentário